BLOG DOS POETAS ALMADENSES

«A poesia é o espelho da cultura de cada país e nela se reflectem os estados de alma, anseios e aspirações... tudo o que diz respeito ao mais íntimo das pessoas, dos povos e da humanidade... que seja dita e cantada, que sirva para conectar para além do espaço das ideologias e dos sistemas, porque A POESIA É, FUNDAMENTALMENTE, UM ESPAÇO DE LIBERDADE.»

domingo, junho 14, 2009

O Farol de Cacilhas

Fotografia de Fernando Alves, retirada DAQUI.

Farol
Luz para navegantes.
Navegantes...
Seres que ousam sair a ermo
em busca do desconhecido
Romper barreiras
Expandir limites.

Talvez para encontrarem-se
Quem sabe para perderem-se
Mas nunca pra ficar no mesmo lugar.

Farol
amigo dos navegantes
Sob o luar das estrelas
Sobre o luar das vagas.

Vagas Estrelas Solitárias
Que juntas colorem a noite

Estrelas...
É o lugar onde cada sereia esconde seu coração
Escondem-no dos homens.
Esses seres impertinentes
que por elas os perdem suas vidas.

Mas eles não reclamam
Antes de partir
Navegam o dorso das sereisas
E nelas depositam seu sêmem
Onde as sereias nadam, saciam-se, alimentam-se.

E semeiam novos navegantes
Para prosseguir o destino de seus pais.
Será que essa semeadura
É a origem da semântica ?

E o Farol ?

O Farol é uma estrela terrena
Sabe-se lá onde esconde seu coração
Assiste a tudo impassível
Apenas mostra o caminho
Cada um que saiba onde quer chegar.
Cada um que saiba onde quer se perder.


Ricardo Muniz de Ruiz
Rio, 13 de junho de 2009
(especialmente para a Associação O Farol, de Cacilhas)

1 Comments:

  • At 10:56 da tarde, Blogger ROMASI said…

    Lindo este poema, saudades vossas sempre! Sinto-me pior! Perdi a vontade de escrever!
    Sempre
    Rogério

     

Enviar um comentário

<< Home