BLOG DOS POETAS ALMADENSES

«A poesia é o espelho da cultura de cada país e nela se reflectem os estados de alma, anseios e aspirações... tudo o que diz respeito ao mais íntimo das pessoas, dos povos e da humanidade... que seja dita e cantada, que sirva para conectar para além do espaço das ideologias e dos sistemas, porque A POESIA É, FUNDAMENTALMENTE, UM ESPAÇO DE LIBERDADE.»

quinta-feira, novembro 02, 2006

A poesia vadia vai regressar a Cacilhas


No passado sábado, durante o decorrer do 1.º Encontro de Poetas Almadenses, foi anunciada a data do "renascimento" da POESIA VADIA, as sessões que aconteciam no último sábado de cada mês, no então C@fé com Letr@s, que encerrou as suas portas em 27 de Agosto último.

Foram cerca de três anos que marcaram a diferença e que contribuíram para juntar muitos poetas da terra, e outros vindo de mais longe (até do Brasil)…

E, afinal, como é que tudo começou? As sessões de poesia nasceram quando a Ermelinda Toscano, no âmbito do projecto cultural que delineara, conforme vem explicado na nota introdutória do livro Index Poesis, se lembrou de incluir na programação as tardes de poesia, uma tentativa que ela e um grupo de amigos já haviam iniciado noutras instalações e que colhera o interesse do público: sem uma agenda rígida de intervenções sequenciais, os presentes iriam dizendo poesia a seu bel-prazer enquanto lhes apetecesse, à semelhança do que acontecia com as noites de fado vadio onde um dos membros do grupo participava.

E vai daí surgiu o nome POESIA VADIA que todos concordaram ser bem exemplificativo do que se pretendia e mais não é do que uma simples designação que caracteriza muito bem o que se passa nessas tardes de "convívio poético": cerca de duas horas em que o pessoal se junta para dizer poesia, de forma descontraída, sem intervenções previamente acordadas, nem tema seleccionado à partida, e muito menos autores escolhidos por antecipação... quem pode vir assistir vem, senta-se à mesa do café e se quiser dizer poesia diz (do autor que mais gostar, escrita por si próprio, de um amigo, o que lhe apetecer), se acha que não tem jeito ou não lhe apetece, limita-se a ouvir os outros e a confraternizar.

Retomando o espírito destas tardes de poesia vadia, vão passar a realizar-se as "tertúlias poéticas do Café Sabor & Art" com a primeira a acontecer já no próximo dia 25 de Novembro (sábado), a partir das 17h. Venha ler e ouvir poesia numa tarde que será, decerto, bem passada.

Como dizia Natália Correia: a poesia é para comer! E até os subalimentados do sonho (a quem se dirigia o verso da poetisa) encontrarão aqui no Café Sabor & Art forma de saciar a alma e não só.

Registe na sua agenda:
DIA 25 DE NOVEMBRO DE 2006
A partir das 17h
(Rua Cândido dos Reis, n.º 88, em Cacilhas)

2 Comments:

  • At 5:00 da tarde, Blogger carlos peres feio said…

    faltei ao CCL (desconhecia!...sou 'da outra banda'! )
    não vou faltar a este desafio! - abraços
    carlos peres feio

     
  • At 6:01 da tarde, Blogger Poetas Almadenses said…

    E serás bem-vindo. Podes trazer, não um, mas quantos amigo/as quiseres... as portas estão de par em par. Para recitar (ou apenas ouvir) poesia, conversar e... provar um dos mimos da Lane (são uma delícia, vais ver).
    Até breve, então! Cá te esperamos.

     

Enviar um comentário

<< Home