BLOG DOS POETAS ALMADENSES

«A poesia é o espelho da cultura de cada país e nela se reflectem os estados de alma, anseios e aspirações... tudo o que diz respeito ao mais íntimo das pessoas, dos povos e da humanidade... que seja dita e cantada, que sirva para conectar para além do espaço das ideologias e dos sistemas, porque A POESIA É, FUNDAMENTALMENTE, UM ESPAÇO DE LIBERDADE.»

domingo, janeiro 28, 2007

Poesia Vadia: a 1.ª de 2007

A sessão de “Poesia Vadia” de sábado passado foi a primeira de 2007 e uma das melhores de sempre. Aliás, nestas tertúlias poéticas cada uma é melhor do que a anterior, sobretudo as desta segunda série. Alguém até dizia que, qual fénix renascida (numa alusão ao esmorecimento que vinha ocorrendo nas últimas apresentações no “Café com Letras” – antecessor do actual café “Sabor & Art”) a “Poesia Vadia” estava, agora, no seu apogeu.


A partir das 17h a casa ficou cheia. A maioria eram os clientes habituais (há quem não perca uma sessão) mas havia, também, muitas caras novas. A poesia estava em todo o lado. Em cima das mesas os livros eram a personagem principal mas o frio e o facto de ser horas do lanche fazia com que se desejasse, também, aquecer a alma com outros alimentos (ai, ai, aquelas farófias estavam, simplesmente... divinas. E a responsável é a senhora atrás do balcão, a mãe do Manuel, o gerente da casa – neste dia a família juntou-se, incansável, no esforço para que tudo corresse bem e, por isso, o pai e os irmãos também lá estavam).


Tivemos a honra de ter presente um dos mais notáveis poetas almadenses: o professor Alexandre Castanheira, que deu início à sessão. A seguir, António Boieiro deliciou os presentes com a leitura, abreviada, do manifesto Anti-Dantas (de Almada Negreiros) e era ouvir um coro de vozes animadas a cada “Morra o Dantas, morra PIM!”... um espectáculo.


Mas o dia teve outra novidade. A transmissão em directo para o Brasil: a “ponte poética” que estamos a construir, graças à Internet, tornou-se uma realidade. Esta foi, portanto, uma sessão intercontinental. Com leitura de poemas a pedido, para deleite da Lane (a esposa do gerente do café “Sabor & Art” que se encontra no outro lado do Atlântico e aproveitou, assim, para partilhar alguns momentos com os amigos de Cacilhas e vice-versa).



Nesta tarde, que começou ainda era dia e terminou noite dentro, com a poesia em roda livre, temos a destacar, ainda, a presença de Nelson Rossano (prémio revelação 2006 de poesia no concurso literário Manuel Barbosa du Bocage) e de Rogério Simões (autor do blog “Poemas de Amor e Dor” que se mantém há vários anos no top dos mais visitados do Sapo) e que nos emocionou a todos com a leitura dos seus poemas.

De salientar, também, a participação de: Humberto Santos que se deixou emocionar ao ler o poema que dedicou aos “Poetas Vadios” tendo, no final, distribuído um exemplar a todos os presentes; Nogueira Pardal, que nos trouxe o sabor dos campos do Alentejo; Rosette, a ternura das palavras declamadas; Bernardes-Silva, a magia dos sonetos de amor; Rui Diniz, a irreverência da juventude; Didier Ferreira, a força de vencer; Filomena, a sensualidade na poesia; Henrique Mota, a lembrança dos amigos e familiares.


Houve quem se estreasse nestas andanças da declamação e porque não se apresentou, ficamos sem saber quem o seu nome. Mas porque a poesia a todos aproxima, partilha-se a mesma mesa, conversa-se como se fossemos todos amigos de longa data.



As pequenas pausas entre cada declamação são aproveitadas para escolher o próximo poema a ler. A concentração é total, cada um compenetrado naquilo que pretende ir dizer, procurando as palavras certas para ler com sentimento, emoções à flor da pele.


A ocasião propicia a conversa entre amigos, reencontros após longa data de afastamento. A satisfação vê-se nos rostos, o ambiente convida a entrar. Não havendo lugar ficasse em pé ao balcão ou à porta a ouvir, porque é impossível passar e resistir indiferente.


No final, por iniciativa do autor, foram oferecidos aos presentes uma dezena de exemplares do último livro de Pedro Alves Fernandes, Pintura Astral – As Palavras Onde Me Perco (editado em Novembro de 2006)... porque a poesia é, acima de tudo, um acto de partilha.

E ao terminar, custa ir embora... por isso muitos ficam na rua a conversar, a acertar próximos encontros ou a combinar projectos futuros. Afinal, apenas a retardar o momento da despedida. Mas felizes porque sabem de antemão que um mês passa depressa e no dia 24 de Fevereiro a “Poesia Vadia” continua.
Fotografias: Ermelinda Toscano.

9 Comments:

  • At 12:45 da manhã, Blogger Aula de Sofia said…

    Parabéns a todos os Poetas Almadenses por esta vivência da Poesia.

    E fica também aqui o convite a todos os visitantes deste espaço para participarem no concurso de Poesia em Rede com um Poema de Amor (http://poesiaemrede.no.sapo.pt/).

     
  • At 10:38 da tarde, Blogger Poetas Almadenses said…

    Olá Sofia. Bem-vinda a este nosso humilde cantinho.
    E o desafio, pela parte que me toca a mim que te estou a responder, está aceite.
    Minda

     
  • At 11:34 da tarde, Blogger Maria said…

    O prometido é devido e, no regresso, passeio-me com mais tempo por estes novos blogs de Almada.
    Scala, Farol, Poetas, e a marcação desde já na agenda do dia 24 próximo...
    Até lá ...

     
  • At 12:56 da tarde, Blogger bico de pato said…

    Fiquei muito feliz e gratamente surpreendido com o aparecimento e a afirmação desta iniciativa cultural no meu concelho de residência.
    Só posso dar-lhe os meus modestos parabéns e desejar-lhe sucesso futuro.
    Joaquim Gomes

     
  • At 5:08 da tarde, Blogger legivel said…

    ... gostava de assistir uma vez que resido no concelho. Confirma-se o dia 24 de Fevereiro? e a que horas?

    Óptima semana!

     
  • At 11:57 da tarde, Blogger Poetas Almadenses said…

    Maria: fazes muito bem passear por estes blogs que indicas, embora nós sejamos suspeitos (hehehehe)...
    (ou não fossem O Farol e a Scala as duas associações que estão na base deste projecto dos Poetas Almadenses)
    E cá te esperamos no próximo dia 24, que está mesmo aí à porta.

     
  • At 11:59 da tarde, Blogger Poetas Almadenses said…

    Joaquim: e nós ficamos muito contentes por teres apreciado este nosso projecto que está, ainda, a dar os primeiros passos mas que pretendemos que vá chegar longe...
    E sendo almadense, decerto podes aparecer nas nossas sessões de Poesia Vadia. São sempre no último sábado de cada mês... a próxima é já no dia 24. Aparece.

     
  • At 12:01 da manhã, Blogger Poetas Almadenses said…

    Legível: gostavas de assistir? Pois nós dizemos que vais gostar, de certeza... aparece, no próximo dia 24, a partir das 17h, na Rua Cândido dos Reis, n.º 88 em Cacilhas.

     
  • At 8:22 da tarde, Blogger http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt said…

    olá! eu tmb gosto muito de poesia e por isso tenho um blog com poemas de minha autoria,se quiseres dá uma olhada e me diz se gostas.
    bjo
    carla granja

     

Enviar um comentário

<< Home