BLOG DOS POETAS ALMADENSES

«A poesia é o espelho da cultura de cada país e nela se reflectem os estados de alma, anseios e aspirações... tudo o que diz respeito ao mais íntimo das pessoas, dos povos e da humanidade... que seja dita e cantada, que sirva para conectar para além do espaço das ideologias e dos sistemas, porque A POESIA É, FUNDAMENTALMENTE, UM ESPAÇO DE LIBERDADE.»

terça-feira, maio 04, 2010

X Jogos Florais da Alma Alentejana 2010



Estes Jogos compreendem três categorias de obras originais:
a) Quadra – A República.
b) Poesia – Tema livre.
c) Conto – 100 anos da implantação da República.

Todos os trabalhos, dactilografados (à máquina de escrever ou em computador) em tipo Times New Roman, tamanho 12, a espaço e meio, e no caso da poesia de tema livre e do conto deverão ter um máximo de três (3) páginas.

Os trabalhos deverão dar entrada na sede da Alma Alentejana (Avenida Professor Ruy Luís Gomes, 13 – R/C Laranjeiro 2810-274 ALMADA – Telefone: 212 540 053) até ao final do dia 8 de Outubro de 2010, nos seguintes termos:
a) Cada obra deve figurar em folha individual (mas em triplicado), identificada com pseudónimo, no canto superior direito;
b) Será também entregue um envelope fechado, com o mesmo pseudónimo no exterior e no interior a identificação do autor (que apresentará os seguintes dados): nome, data e local de nascimento, local de residência e telefone.
c) A obra (ou conjunto de obras) e o envelope fechado serão entregues dentro de outro envelope (este sem remetente), com a indicação: “Alma Alentejana – X Jogos Florais – 2010”.


Consulte o Regulamento completo AQUI.

1 Comments:

  • At 6:00 da tarde, Blogger Valdecy Alves said…

    Amigos poetas blogueiros, parabéns por utilizarem a internet como forma de dividir com o mundo o seu pensar, o seu compreender, desempenhando a missão do poeta que é se afirmar como ser humano, sobretudo perante si mesmo, captar os arquétipos coletivos de sua época e princípios universais, permitindo após compreender-se ou não compreender-se, que pela sua obra os da sua época tenham referência alternativa para fazer a leitura do mundo e as gerações posteriores entenderem a própria história da humanidade. Tudo temperado pelo sonho, pela sensibilidade e pela utopia. PASSOU A ÉPOCA DE ESCREVERMOS E GUARDAR NA GAVETA NOSSAS CRIAÇÕES DEPOIS DOS MAIS PRÓXIMOS FINGIREM TER LIDO PARA NOS AGRADAR. Através do meu blog quero aprensentar-lhes a video-poesia, que usa várias linguagens de uma só feita, a serviço do texto. Se gostar divulgue e compartilhe com os seus contatos. Acessar em:

    www.valdecyalves.blogspot.com

     

Enviar um comentário

<< Home