BLOG DOS POETAS ALMADENSES

«A poesia é o espelho da cultura de cada país e nela se reflectem os estados de alma, anseios e aspirações... tudo o que diz respeito ao mais íntimo das pessoas, dos povos e da humanidade... que seja dita e cantada, que sirva para conectar para além do espaço das ideologias e dos sistemas, porque A POESIA É, FUNDAMENTALMENTE, UM ESPAÇO DE LIBERDADE.»

segunda-feira, março 26, 2007

Outra Vida

Permito-te, lágrima teimosa,
Que me arranhes a face

Esperava-te,
Desejava-te, até.

Agora, ganho coragem
Termino a viagem,

Não vou manter-me
No limbo da desgraça
Não canto fados
Não rezo orações monótonas

Cai a lágrima
Porque a vida, esta,
Não me serve
Porque o tempo, perene,
É amo e senhor
É dono do amor

Depois de voltas e voltas
De corridas em contra mão
Sento-me no silêncio

Da noite

Do vazio

Despejo os segredos
Que me restam
No rio onde adormecerei

Sempre gostei do rio
E do mar
E do céu
E do sol

Não vou morrer fechado
Entre paredes geladas

É tarde.
Acendo um último cigarro
Parente próximo do cálice
Onde se esgota a última gota
Da última garrafa.

Deixo um sorriso,
Breve,

Amanhã estarei noutro mundo
Onde as lágrimas são sorrisos

Nada a temer
A vida toda para viver

Finalmente!!

Autor: Do blog de um poeta almadense ANT
Imagem: google.

2 Comments:

  • At 11:52 da manhã, Blogger Ant said…

    Agradeço a referência e o comentário. Terei todo o gosto em participar. Como somos de perto não será difícil o encontro.

    Ah... é mesmo ficção ;))
    Abraço

     
  • At 5:43 da tarde, Blogger Vera said…

    Poema lindíssimo!
    Parabéns pela escolha!

    ♥*´¯`*.¸¸.*Beijinhos*.¸¸.*´¯`*♥

     

Enviar um comentário

<< Home